sábado, 7 de fevereiro de 2009

Acreditar para ver...pode?

Ultimamente, tenho repetido a expressão do título e vou dedicar mais esta postagem curta a ela. Normalmente, escuto o inverso "quero ver pra crer", logo procurei fazer diferente este ano, em tudo!

Acredito em mim e aceito o que conseguir como resultado, sendo agradável ou não para minhas expectativas. Geralmente, se minha expectativas são exageradas é decepção na certa.

Isso vale também para o governo municipal atual de Nova Friburgo. Me coloquei em quarentena de um ano, tô acreditando para ver (ou cobrar, criticar, comentar) a partir de 2010 se valeu a pena acreditar. Apesar de algumas discordâncias, prefiro guardá-las comigo. Essa postura já me descola da intolerância, o que, por si só, se faz uma boa. Além disto, na prática, meu foco está em concluir meu mestrado até fevereiro de 2010, logo, muita atenção para este projeto, mesmo que isso signifique menor presença (ou uma presença mais acelerada) nas ruas friburguesas, nos cafés friburgueses (aliás, inaugurou um mega na Monte Líbano), muitas entrevistas, muita presença nos pontos de venda de alimentos orgânicos, por aí...

Mas, fechando, esta postura de "acreditar pra ver" me deixa bem mais zen, tô gostando disso!

2 comentários:

Elisangela Batista Barbosa disse...

Considerando que estamos mesmo é à mercê e que nossas escolhas podem ter os resultados mais esdrúxulos, é melhor mesmo começarmos a crer para ver se nossa miopia melhora!
Beijos
Elis

Marcelo Castañeda disse...

Não é bem neste sentido que acredito, pois considero uma relativa autonomia e liberdade de escolha no mundo atual. Afinal ninguém fica te patrulhando o tempo todo, né? Mesmo assim, a imprevisibilidade e o risco proliferam...
Beijinho!